Sabado, 15 de dezembro de 2018 Nossa história      

Notícias

III Festival Sociocultural de Cabeceiras do Piauí

Por SECOM - Secretaria Municipal de Comunicação Social

O evento foi bastante prestigiado e contou com a presença do Prefeito Municipal Dr. José Joaquim, da primeira dama, Ana Mota, das vereadoras, Kiane Oliveira e Solange Pereira e dos secretários municipais, Apolo Araujo e Evandro Alves.

“A transformação social pela arte e pela tolerância”, esse foi o tema da 3ª edição do Festival Sociocultural de Cabeceiras do Piauí, uma realização do projeto Sarau Cultural que aconteceu entre os dias 26 e 30 de novembro.

Idealizado pelo produtor cultural Roney Rodrigues, o evento contou com uma programação bem diversificada, com espaços de discussão e apresentações artísticas.

“Realizar um festival como o Sociocultural não é tarefa fácil, foram mais de seis meses de planejamento e muito trabalho. Tivemos o apoio e o patrocínio somente da Prefeitura Municipal de Cabeceiras, que mais um ano acreditou em nosso trabalho, e doações de amigos e professores que  também acreditam. Nosso trabalho é puro e de coração, por isso resistimos as dificuldades e continuaremos fazendo nosso trabalho social e cultural perante a sociedade, espalhando sorrisos e amor”, declara.

“O festival abordou em suas mesas e rodas de discussões temas como: racismo, políticas públicas e direitos humanos. Um dos destaques foi o Cine Comunidade, que contou com a exibição de filmes  mais bate-papo e a presença dos cineastas piauienses  Milena Rocha e Wesley Oliveira”, elenca.

Para garantir a ampla participação da comunidade, a programação foi totalmente gratuita e aconteceu em diversos pontos da cidade.  “Acreditamos que um Festival Sociocultural precisa ir para os bairros mais periféricos, para que aqueles moradores das camadas mais simples de nossa população tenham acesso ao que há de melhor. Precisamos ter esse cuidado, e é por isso que nossa programação aconteceu no Centro, nos bairros e principalmente na zona rural, é nisso que o projeto acredita e por isso os impactos são positivos, desde o acesso a cultura, a arte e as discussões políticas”, finaliza Roney.